Modulação a um intervalo de quinta a partir do tom da subdominante

Modulação direta IV – I

Em maior a modulação direta ocorre sempre contendo referências a tons vizinhos. No episódio

I.XVII.25-27,

contendo uma sequência harmônica modulatória em segunda descendente, modula no início por intermédio do tom da sobretônica (analisável como referência usando-se acorde alterado); no episódio

II.V.35-40.

contendo uma sequência harmônica modulatória (tonal) em segunda ascendente, modula no início com referência aos tons da dominante e da submediante (relativo), analisável também com o percurso
IV – V – VI – I,
em segundas ascendentes até o tom relativo; no

II.XVII.20-22,

contendo uma sequência harmônica incompleta em segunda ascendente, modula próximo ao final do episódio com referência ao tom da dominante; no

II.XVII.44-48,

modula no início do episódio através do napolitano, com referência, após a fermata, aos tons da dominante e da submediante; no episódio

II.XIX.17-20,

contendo uma sequência harmônica modulatória (tonal) em segundas descendentes começando com o final do tema, utilizada também com as vozes superiores trocadas (inversão) no episódio dos compassos 8-9, modula no início, com referência ao tom da sobretônica, analisável também como
IV – I – II – I, ou
IV – II – I;
e finalmente no

II.XI.70-85,

contendo nos compassos 73-76 uma sequência harmônica tonal em segundas descendentes, modula cromaticamente para o tom da tônica menor no início do episódio,  com referência ao tom da dominante.